As consequências de incumprimento bancário

Nos últimos anos, o crescimento do crédito malparado tem sido uma constante todos os anos. As causas são muito comuns de caso para caso, e as primeiras são sem dúvida o desemprego, deterioração dos rendimentos e doença.

Infelizmente desde 2008, altura que a crise acentuou-se na Europa, que as famílias em Portugal estão com sérias dificuldades em gerir os seus rendimentos, e o resultado é que o dinheiro não chega para as despesas da casa e para pagar as obrigações bancárias.

Cenários piores são aqueles que nem sequer têm rendimentos ou que um só elemento da família traz algum dinheiro para casa e ser o principal sustento da família.



As consequências se não pagar os seus créditos



PERSI

Ao não pagar os seus créditos, a instituição financeira primeiro tentar falar com o cliente e verificar se houve algum problema pontual ou esquecimento.

Caso perceba que o incumprimento se deve a problemas bancários deve a instituição financeira accionar o PERSI (Procedimento Extrajudicial de Regularização de Situações de Incumprimento) de forma a tentarem em conjunto, (mediante avaliação prévia da situação financeira do cliente) chegar a um entendimento de renegociação do crédito.

O PERSI deve ser accionado assim que o incumprimento seja detectado ou que o próprio cliente informe a instituição de crédito que está em falta com o pagamento da prestação ou que corre risco de num futuro próximo não ter condições para efectuar o pagamento.

O PERSI foi pensado e criado de forma a aliviar os processos de cobrança nos tribunais, assim como tentar elevar a taxa de sucesso em casos de renegociação entre cliente e instituição bancária.

Naturalmente que o PERSI não significa automaticamente que o seu contrato de crédito irá ser renegociado, mas sim que a instituição bancário vai analisar detalhadamente a sua situação financeira (após pedido de informações e documentação ao cliente) e num prazo de 30 dias, irá comunicar-lhe uma ou mais propostas de renegociação que achem adequadas para o cliente.

Nem todos os processos no PERSI resultam em renegociação porque a instituição pode entender que o cliente não tem rendimentos que satisfaça qualquer renegociação do contrato e dar por finalizado o processo do PERSI.

Outras das razões para cessar o processo é o cliente estar insolvente ou com arresto de bens, e é lógico, porque se tem arresto de bens os rendimentos já sofrem de uma penhora de vencimento e se foi declarado insolvente é porque o tribunal entendeu que o insolvente não tem meios económicos para cumprir com as suas dívidas.



Nome sujo no Banco de Portugal



É um termo  que significa que o cliente está em incumprimento bancário e com esse registo na central de registos do Banco de Portugal.

Todas as instituições financeiras são obrigadas a informar o Banco de Portugal sobre todas as operações financeiras dos seus clientes e naturalmente que ao entrar em incumprimento bancário, a próxima actualização do seu crédito terá a nota em como não pagou a última ou últimas prestações.



Esta informação pode ser consultada pelo seu mapa de responsabilidades, da qual pode pedir directamente no Banco de Portugal ou online se tiver a senha das finanças consigo e o seu NIF. (pode consultar e/ou imprimir)

Para “limpar” o nome do Banco de Portugal só mesmo pagando a dívida em incumprimento, ou em caso de chegar a um acordo com o credor para uma renegociação, passando assim o seu perfil de incumprimento para crédito renegociado.

As consequências de ter o “nome sujo” no Banco de Portugal, além das já mencionadas, é que todos os outros bancos e financeiras têm acesso a essa informação, logo em caso de ir pedir um crédito eles vão verificar e constatar que está em falta com uma instituição financeira, logo qualquer crédito que peça, será recusado.

Esta situação é má porque algumas pessoas percebem tarde de mais que têm uma taxa de esforço elevado e querem consolidar os seus créditos. Mas tendo o “nome sujo “no Banco de Portugal e mesmo sendo um crédito para consolidar dívidas, vai ser recusado!

Portanto se está em uma situação que praticamente todo o dinheiro que ganha, vai para pagar créditos, não espere mais e contacte um banco ou financeira para consolidar os seus créditos antes que seja tarde de mais e entre em incumprimento bancário.





Incumprimento bancário pontual



Se por algum motivo falhou uma prestação do seu crédito, fale imediatamente com a sua instituição credora e clarifique a situação e liquide a dívida.
Em caso pontuais que podem acontecer a qualquer um, as consequências podem ser nulas ou mínimas, por isso o seu timing em resolver a situação será um factor importante.


Incumprimento a longo prazo 

Com o passar do tempo e caso não tenha resolvido a situação de incumprimento, as instituições credoras podem accionar execuções aos seus bens, nomeadamente penhora de vencimento e casa.

Para não chegar a este ponto é essencial que tente ao máximo um acordo com o credor de forma a pagar faseadamente os montantes em dívida. Contacte directamente os mesmos com provas da sua insuficiência económica de forma a perceberem que está com intenções de pagar mas não tem meios para tal.

Caso não seja possível um acordo, provavelmente está numa situação insolvente, isto é, sem meios para pagar as suas dívidas e esgotada a possibilidade de acordo para as pagar, logo , consulte um advogado ( peça apoio jurídico se não tiver meios económicos para contratar um ) e verifique se de facto não será melhor avançar para a sua insolvência pessoal. 

Não deixe o tempo passar 

Quando se fala de dividas e incumprimento o "tempo" é muito importante, porque se tiver uma resposta rápida e activa na resolução do seu problema, verá a vantagem a médio prazo, nomeadamente no pagamento de menor juros e na prova que desde cedo tentou resolver a sua situação da melhor forma possível.

É mais fácil por vezes renegociar uma dívida recente ( no sentido de incumprimento) porque os valores são menores, logo mesmo para si torna-se também mais fácil pagar esse mesma dívida, nem que seja faseada pelas várias prestações que posteriormente teria que pagar. Exemplo:

Tem um crédito cuja prestação mensal é de 120 euros, mas aconteceu algo e não conseguiu pagar as últimas duas. Aqui pode acontecer a hipótese se ser renegociado pagar este valor em dívida ( 240 euros ) faseadamente nas posteriores prestações , aumentando por exemplo para 140 euros mensais , até a dívida em incumprimento ficar paga na totalidade.


Isto acontece muitas vezes e é viável, contudo se os valores forem já muito altos e mesmo que seja renegociado nestas condições, acontece que, a prestação actual vai aumentar demasiado devido aos valores em dívida serem altos, portanto corre o risco de ser uma prestação insuportável para os rendimentos que tem e com isto, poderá entrar novamente em incumprimento com a instituição bancária.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  2. Preciso de dinheiro urgente para pagar as dívidas, fazer planos, pagar por um carro, posso ajudá-lo a encontrar o seu sorriso, mesmo que ele foi proibido de bancário. Deixe-me saber suas necessidades e é dentro de 48 horas. Para obter mais informações, entre em contato pelo mail:victorboulo@gmail.com

    ResponderEliminar